sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Dia dos namorados

O Dia dos Namorados, tratado em muitos países como Dia de São Valentim, é uma data comemorativa na qual se celebra a união amorosa entre casais.
A Igreja Católica reconhece três santos com o nome Valentim, mas o santo dos namorados parece ter vivido na segunda metade do século III, na cidade de Terni, a 75 km de Roma. Tendo morrido como mártir em 270.

Em 496, o papa Gelásio reservou o dia 14 de Fevereiro ao culto de S. Valentim.
Valentim era um sacerdote cristão contemporâneo do imperador Romano Cláudio II. Este estava envolvido em diversas campanhas militares consideradas muito sangrentas, não conseguindo levar muitos romanos a alistarem-se.
Cláudio II acreditou que tal sucedia porque os homens não queriam abandonar as suas namoradas, mulheres e famílias para partirem para a guerra.
A solução que encontrou foi proibir os casamentos dos jovens. Valentim ter-se-á revoltado contra esta ordem e terá casado muitos pares em segredo.
Quando foi descoberto, foi preso, torturado e decapitado a 14 de Fevereiro.
Em 498, o Papa Gelasius santificou-o, passando o dia da sua morte a estar conotado com os apaixonados.

Hoje em dia, Valentines Day é uma oportunidade para as pessoas expressarem consideração, amor e amizade a todas as pessoas que considerem especiais.

Neste dia para além da compra de uma lembrança simbólica, não deixe de oferecer um cartão com um poema de amor à pessoa que ama. De preferência original.

Alguns poemas:

Olhos Negros

Por teus olhos negros, negros,
Trago eu negro o coração,
De tanto pedir-lhe amores...
E eles a dizer que não.

E mais não quero outros olhos,
Negros, negros como são;
Que os azuis dão muita esperança
Mas fiar-me eu neles, não.

Só negros, negros os quero;
Que, em lhes chegando a paixão,
Se um dia disserem sim...
Nunca mais dizem que não.

Almeida Garrett

Memória

Em meus momentos escuros
Em que em mim não há ninguém,
E tudo é névoas e muros
Quanto a vida dá ou tem,
Se, um instante, erguendo a fronte
De onde em mim sou aterrado,
Vejo o longínquo horizonte
Cheio de sol posto ou nado
Revivo, existo, conheço,
E, ainda que seja ilusão
O exterior em que me esqueço,
Nada mais quero nem peço.
Entrego-lhe o coração.

Fernando Pessoa
Feliz dia dos Namorados,
Sejam felizes!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Adorei este post. Muito interessante, mesmo. Desconhecia a verdadeira história que se escondia sob o 14 de Fevereiro ;)

    ResponderEliminar