sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Não posso deixar de acreditar










Quando vi a tua face
Tornei-me prisioneiro dos teus olhos
Toda a tua inocência conquista
Todo o teu amor ficou

Para onde caminhar?
Para te encontrar e estar contigo.
Adoraria te reencontrar.
Linda, vem comigo.
Por maior que a estrada pareça
Seguirei meu caminho
Pois estou na estrada dos sonhos.

Procuro palavras da mesma forma que procuro o amor
Perdido entre as ondas de um mar revolto
Procuro teu sorriso,
Teu beijo que corta a respiração
Teu olhar que me faz sonhar e acreditar

Não sei o que devo fazer.
Sinto-me perdido, sem inspiração.
Quando não estás por perto, meu peito deixa de bater,
As palavras ficam ainda mais presas em meu coração.
Prisioneiras de um amor platónico.

1 comentário:

  1. Nunca podemos deixar de acreditar naquilo que mais gostarmos.

    ResponderEliminar